domingo, 24 de outubro de 2010

ILUSÕES

ILUSÕES


Você não perdoa,
mas continuo teu,
à minha maneira,
como você diz.
Ter e não ter,
querer e não poder.
Enquanto me satisfaz o abstrato
você não consegue o prazer
na falta do concreto.
Na minha fábrica de ilusões
eu posso tudo,
construo a realização dos meus desejos,
eu vivo o que tenho
e aqui eu tenho você.

Um comentário:

  1. Bem assim... na minha fábrica de ilusões eu posso tudo...
    Bj!

    ResponderExcluir