terça-feira, 20 de novembro de 2012

UM SONHO À BEIRA DO CAIS


A bela menina do porto

sussurrou em meus ouvidos

as carícias que eu vinha querendo

então eu pude conhecer a sua voz,

leve como a brisa que sopra

os carneirinhos na água mansa.

Outros carneirinhos me apressei a contar

para que me trouxessem logo o sono

e eu pudesse com ela sonhar

embalado pelas asas das gaivotas

que sobrevoam a sua pedra lá no cais

e cujos cantos ecoam rumo ao mar

para os meus sentimentos encantar;

num bom sonho que me visitou

ancorei o meu corpo junto ao seu

para não deixá-la, jamais.

AMIGA OCULTA



Essa brincadeira de amigo oculto,

às vezes fica muito complicada.

Um presentinho bem difícil de encontrar

a belezinha da minha amiga quer ganhar:

blusinha fresquinha e fechada atrás!

As peças que eu acho

só se fecham bem na frente

pra esconder o que ali tem de mais atraente.

Em toda loja que eu entro

as que as vendedoras sempre trazem,

com um sorrisinho zombeteiro,

achando que é pra minha namorada

deixam são as costas nuas

para dar vazão ao calor do sol

que nessa época bate ardente.

Por isso mesmo uma delas me indicou:

já que a menina quer alguma coisa “diferente”

num sexy-shop vou encontrar, certamente.

domingo, 16 de setembro de 2012

O PEQUENO CAÇADOR




Jovem caçador de perdizes
O que você me diz?
Apesar de tudo
Dessa sua simplicidade
Vivendo desse jeito
Como o ambiente lhe impõe
Não pensou, talvez
Ah!  Pequeninos!
Eu bem sei
Em todos os cantos
Na imensidão desse nosso mundo
Trazem sempre no peito
Uma grande esperança
De serem como crianças
Vivendo sempre à caça
Do que lhes é mais importante
Saciar a fome do corpo
E buscar receber o afeto
No seio da família
Embaixo do seu teto
Ao aconchego dos seus


 Texto publicado no cenário AS LETRAS DA PINTURA  nº 2 organizado pelo Grupo ecos e Poesia
sobre a  obra  "The Little Hunter"_ Analua Zoé
http://ecosdapoesia.net/letras/analua_zoe/analua_zoe.htm

AVEC NOSTALGIE




Por onde andará
a menina do porto,
cujo passeio divino à beira do cais
enche de saudade
o peito deste barqueiro.
Procuro sempre por ela,
com meus olhos sonhadores,
ansiosos pela bela figura
pintada de branco
na aquarela colorida
pela minha imaginação,
almejando tê-la de vez
espetada no meu corpo,
como uma flor.
Querendo-a gravada em minha pele,
marcada como uma tatuagem,
em êxtase, colada em mim.
Senti-la assim como uma boca faminta
sugando o meu amor.
Bela e nua,
não de todo,
vestida apenas com um pendente
desenhado com as iniciais entrelaçadas,
dela e deste seu marujo.
Dançando ao movimento apressado
do seu peito delicado,
ainda vou tê-la, sim,
sem os artifícios dos devaneios.
Navegando, enfim,
sempre bem juntinho de mim.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

NO ARCO-ÍRIS



NO ARCO-ÍRIS

Eu encontrei um arco-íris
 e caminhei pelo seu feixe de cores.
Acho que ele não tem fim,
é reflexo de luz.
Não encontrei um pote de ouro,
não é essa riqueza que ele traz.
Achei sim, uma flor,
imagem do meu amor.

SEM...



SEM...
 Era um sentimento
tão volátil,
sem gavinha;
tão indeciso,
sem convicção;
que se deixou
conduzir,
sem resistir,
por um leve
sopro do vento,
sem destino.

domingo, 1 de julho de 2012

LA BELLE DU JOUR



LA BELLE DU JOUR

Ela estava lá por acaso.
acomodou-se ao recanto para descansar,
e a natureza aproveitou a sua beleza
para ficar mais bonita e enfeitada.

Foi numa tarde de céu bastante azul,
outono pelo meio, o sol reluzia na água cristalina.
A brisa fresca espalhava em derredor
um tapete de folhas e pétalas perfumadas.

Linda e perfeita como a atração do pecado,
toda a singela beleza que nela encontrou,
deixou encantado e apressado o coração
de um vate encarnado de pintor.

Agraciado com o prazer de vê-la à sombra
de uma acácia florida como cachos de luz,
daquela mulher, musa de cabelos negros
e rosto tão belo logo se enamorou.

Perguntou-se, mas tinha quase a certeza.
Foi assim que deslumbrado concluiu
que o jardim das delícias acabara de encontrar,
e para a eternidade resolveu revelar.

BOCA DE MULHER

 
BOCA DE MULHER

Uma flor balançando ao vento,
enfeitando a primavera
cheia de aromas e cores
que convidam os insetinhos
a distribuir o seu amor,
é como uma boca de mulher,
macia, suave e aveludada;
fresca, atraente e dissimulada,
que conquista com todo jeito
o objeto que atiça o seu desejo.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

14/01/2006 11H

 14/01/2006 11H

... E todos irão se virar
para admirar a sua beleza
assim como viram os girassóis
na direção do sol.
E ela vai passar,
e se vai.
E eu ficarei
só.

A FLOR E O PÁSSARO


A FLOR E O PÁSSARO

Nas margens do rio Pari,
existe uma flor de pétala rosada.
Desabrochou com a rapidez da paixão,
linda e perfeita como a atração do pecado.
Toda a singela beleza que nela encontrou,
deixou encantado e apressado, o coração
que pulsa no peito de um pássaro azulado.
Esse amor por natureza distante e inusitado,
transborda do seu peito em triste trinado,
depois de cada beijo que ele lhe dá.

domingo, 22 de abril de 2012

O CHEIRINHO QUE EU SINTO


O CHEIRINHO QUE EU SINTO

Hum! É uma delícia
esse cheirinho que eu sinto
toda vez que você abre
o compartimento bem fechado
onde ficam guardados os sentimentos,
ou então aquele bem-formado
onde nascem os pensamentos.
O perfume da flor que mexe com meus sentidos
é exalado pelo que está escondido
embaixo das roupas que cobrem esse monumento.

MARIA SIRIA


MARIA SIRIA

Dona Maria Siria Ribeiro Martins,
pelo breve tempo que meus olhos
se enchiam de prazer e brilho
e meu coração batia apressado
quando aparecias enfeitando a janela da tua alcova
e oferecia ao mundo toda a tua formosura,
eu me dediquei encantado
e agradecido aos deuses
pela dádiva de poder
enxergar, amar
e acariciar o corpo idolatrado
da mais bela donzela da casa real.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

EM BUSCA DO GINECEU



EM BUSCA DO GINECEU

Um pensamento aventureiro
ativa, inunda e pulsa,
alimenta o meu desejo
dos seios de onde emana sua seiva.
No caminho das delícias, malícias,
dominado por todas as carícias
do seu corpo para o paraíso,
onde guardas um mistério,
seu segredo e seu poder.
Em banho de cheiro
dessa concha extasiante,
impregna-me do perfume
da essência inebriante
da sua encantadora flor,
no meu destino, amada.



DA MOCINHA PRO NAMORADO



DA MOCINHA PRO NAMORADO

Eu hoje acordei afobada,
bem na hora que eu ia dizer o sim.
Fiquei meio chateada,
depois concluí que foi melhor assim,
pois não posso ainda agora
ser do senhor a primeira dama.
Mas eu não vejo a hora
de repartir contigo a cama,
de morarmos bem juntinho.
Ah! Como nisso eu penso!
No aconchego do nosso ninho,
Aff! Fico até com calor! Muito excitada!
Retribuirmos o amor intenso,
eu sonho dormindo e acordada.

domingo, 11 de março de 2012

DAMA DAS ÁGUAS



DAMA DAS ÁGUAS

Vem em ondas a fantasia
de em suas águas saciar toda a minha sede,
de beijar a face molhada pelas lágrimas
provocadas pelos sentimentos contidos.
De me excitar pela carícia da pele molhada, tépida,
aquecida pelo sangue que corre em suas veias.
De receber o beijo faminto
da boca úmida na exploração de mim.
De sorver, guloso, a vida que brota
e pinga gotejante dos seus seios.
De deliciar-me com a secreção
que lentamente escorre
como gota de orvalho,
umedecendo a flor do seu sexo
no auge do prazer.

O DESABROCHAR

O DESABROCHAR

A mulher começa assim
como um botão de flor.
Até que no íntimo
uma revolução se desenrola
e o seu mundo de repente
pulsa em brasa como um vulcão,
o ânimo instável como um furacão.
O encantamento e a emoção da menina
na vibrante iniciação da mulher.
O erotismo que se desenha no corpo,
dentro da blusa, anunciando a adolescência
seios pequenos varando a pele do corpo.
intumescendo mamilos e
imiscuindo no meio das pernas,
difícil de domar o desejo que aflora.
A angústia da transformação,
a revolta e o medo
de deixar de ser criança
mas cheia de ansiedade,
pra ser mulher em flor.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

EM DEVANEIO


EM DEVANEIO

Corro durante o dia na direção do sol
para receber os abraços da tua imaginação.
Quando chego a lugar nenhum
já é noite e encontro a lua,
nua, solitária, deitada na imensidão do pensamento.
Esperando o calor carregado pelos sonhos
de todo o anseio do meu amor,
evolui na mente o encontro celeste e
acaricio com minhas mãos de nuvens
o teu corpo violão, sua pele em minha imaginação.
Os gemidos sussurrados das tuas cordas
chegam aos meus sentidos pelo calor da boca
que beija os meus devaneios,
atiçam-me o desejo, embalam a fantasia,
caminho para a construção dos meus versos,
carícias que embalam o teu amor que aqui se  concretiza.
São tuas as minhas mãos exploradoras,
e vem em vulcão o orgasmo,  plena satisfação.

BOA NOITE LUA!


BOA NOITE LUA!

 
Você voltou, enfim!
Por que a ausência tão longa? Por veneta?
Deixar de vê-la linda desse jeito foi tão ruim!
Marca logo, de novo, na cama, minha silhueta.

Se eu abria, ansioso, a minha janela
e você, minha rainha da noite,
não entrava, graciosa, por ela,
a solidão me abatia em sofrido açoite.

Desculpe o que eu fiz.
Nem sei o que foi, mas, enfim,
faça-me bem feliz.
Não me deixes mais, assim.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

AMOR EM DEVANEIOS


AMOR EM DEVANEIOS

Beije-me tanto quanto quiseres,
entrego-me ao teu amor.
Nu, os teus olhos me comem.
Apesar dos devaneios, o corpo sente
a reação da tua boca que me consome.

Para satisfazer a carência,
que se mostra muito ansiosa,
de que minha pele te aqueça
e ,da tua boca, a minha seja presa.

Levar-me pelos teus encantos
e te amar em doce encontro.
Apesar da ausência do meu corpo em excitamento,
a satisfação pode se dar no pensamento.

Dos meus lábios tens o gosto,
exatamente como espera a boca do teu rosto
ser conquistada, desbravada e consumida
e no teu imo minha bandeira ser fincada.

De um amor distante
que sonha a todo instante,
beber na outra boca o vinho
e entregar-se inebriada ao almejado carinho.

Por inteiro o corpo amado,
do jeito que for imaginado,
entrego, para o teu desejo ser usado.

MULHER POEMA


MULHER POEMA

Quando te observo

e deslizo as mãos pelo teu corpo,

recito um poema,

autoria dos teus pais

a quem admiro pela beleza da obra.

Agradeço ao destino

por tê-la feito chegar às minhas mãos.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

OS BEIJOS QUE ME DEU

video

OS BEIJOS QUE ME DEU

Um dia eu ganhei um beijo
leve e marcante,
com sabor de suspiro
que me fez flutuar.
Pimenta malagueta,
bateu nos meus lábios
o sabor do beijo picante que me deu.
Quando me pôs em delírio,
com aquele beijo quente
estava me dizendo sem recato:
- eu quero mais! Muito mais!
Envolto em espumas flutuantes,
de pêssego o sabor do beijo cativante
excitou a minha boca desejante.
Mas ficou marcado para sempre
um beijo muito relevante
que me foi dado com doçura
pelos lábios lambuzados de chocolate.
Quando a saudade bateu de doer,
todos os beijos guardados
com muito carinho na lembrança
serviram de alento à esperança
do reencontro com tua boca,
num beijo ávido do teu gosto.